Ronda, Espanha

Ronda com aproximadamente 35.000 habitantes fica a cerca de 100 km de Málaga. Por aqui passa também o Tejo. Por estar numa meseta a bastante altitude, com casas a desafiar a verticalidade; desfruta de paisagens incríveis sobre o rio e a paisagem circundante.  

Mas não são só as paisagens que nos trazem aqui, Ronda conta com muitos outros atrativos. São por exemplo dignos de nota a gastronomia baseada nos produtos locais e os vinhos que se inserem na rota dos vinhos de Espanha.

Por outro lado a antiguidade de Ronda está bem espelhada nas jazidas arqueológicas como as da cidade romana de Acinipo, os banhos Árabes, o Palácio de Mondragón ou o do Rei Mouro e as suas ruas cheias de história. 

Rodeada por vales e rios, e localizada no topo de um desfiladeiro profundo, é um lugar que nos tira literalmente a respiração quando o visitamos.  Qualquer um que tenha sido sortudo o suficiente para visitar Ronda irá perceber o seu encanto. É uma das cidades mais belas e visitadas de Espanha (a terceira cidade mais visitada na Andaluzia). 

Ronda (Acinipo) foi declarada pela primeira vez uma cidade por Júlio César no século I. Quando os combatentes mouros invadiram a região no ano 8C sob o comando de Tarik-ibn-Zeyad, um dos primeiros caminhos que eles seguiram foi o romano, que ligava Gibraltar com a área romana de Acinipo. Eles rebatizaram a cidade para Izna-Rand-Onda – Ronda. As ruínas de Acinipo ficam na verdade a 20km da Ronda moderna.

Ao longo da história, Ronda afirmou-se por diversas vezes como uma das cidades mais resistentes da Andaluzia. Em boa parte graças à sua posição geográfica, mas também devido a uma série de fortificações e acessos de proteção especialmente construídos pelos árabes durante a era islâmica. Enquanto a cidade crescia, mais e mais muralhas e portões eram construídos. Nos dias de hoje o cenário soa-nos misterioso e oferece um vislumbre privilegiado sobre o passado de Ronda.

Aqueles que visitavam Ronda durante o período Muçulmano entravam para a cidade através da Ponte Árabe, o único acesso que dá para o centro da cidade e que hoje se faz por uma antiga Puerta de la Cijara. A portada para a maior e melhor protegida cidade era a de Almocabar. O seu nome vem do cemitério árabe (al-maqabir), que estava situado nesta parte da cidade. A portada de Almocabar encara o mar e Gibraltar, de onde se controlam todas as entradas e saídas por via marítima.

Related Posts